UMA PRESCRIÇÃO PARA ASSASSINO?

Tiroteios em massa e vigias para homenagear as vítimas das manchetes nos jornais, mas quantos mais entes queridos devem ser perdidos antes do verdadeiro mal por detrás da violência ser trazido à luz?
Um documentário da BBC coloca a pergunta: estão as drogas psicotrópicas por detrás da violência?

A violência sem sentido não é apenas uma publicação americana. Há Andreas Lubitz que, enquanto tomava antidepressivos e benzodiazepina, despenhou deliberadamente o avião da Germanwings onde ele era o co‑piloto no sul da França, matando os 150 a bordo. Há Matti Saari da Finlândia, um estudante de culinária que disparou e matou 9 estudantes e um professor, feriu outros e depois matou‑se a si mesmo. Ele estava a tomar um antidepressivo e alprazolam. Mamoru Takuma, em Ikeda, Japão, estava a tomar um antidepressivo quando ele entrou numa escola primária com uma faca de 15 centímetros, matando alunos do primeiro e segundo ano, enquanto feriu pelo menos outros 15.

Em julho de 2017, um documentário Panorama da BBC do Reino Unido, Uma Prescrição para Assassino, explorou o papel de antidepressivos no tiroteio de James Holmes, que matou 12 pessoas e feriu outras 70 num cinema de Colorado em 2012, depois de começar a tomar um antidepressivo 17 semanas antes. O Professor David Healy entrevistou Holmes antes do seu julgamento de 2015 e concluiu: “Acho que se ele não tivesse tomado o Sertralina [antidepressivo], ele não teria assassinado ninguém.”

O Professor Healy estima que 90% dos tiroteios em escolas a ocorrer por mais de uma década estavam ligados a antidepressivos. O novo relatório da CCHR recomenda que as audiências legislativas sejam mantidas para investigar completamente a correlação entre o tratamento psiquiátrico e a violência e o suicídio.


QUEREMOS realmente SABER DE SI

Aqui está o que os visitantes disseram depois de aprenderem os factos documentados na exibição Psiquiatria: Uma Indústria de Morte.

ENFERMEIRA REGISTADA DE PSIQUIATRIA, LOUISIANA, EUA

Durante 32 anos, eu tenho sido uma enfermeira registada no campo da saúde mental e psiquiatria na Louisiana. Sempre fui defensora dos pacientes e testemunhei mudanças perturbadoras na minha profissão, especialmente nos últimos 15 anos. Quero fazer a diferença. Obrigado por proporcionarem esta compreensão e kit de informação gratuito.

PASTOR EVANGÉLICO, PERU

Sou um pastor com uma congregação de 2500. Estou a experimentar o abuso psiquiátrico, que, com a ajuda de Deus, espero escapar. Quero avisar o meu povo desses perigos que estão expostos. Vou mostrar‑lhes o vosso material e estou a procurar autoridades honestas para me ajudarem a promover a informação.

ESTUDANTE, FRANÇA

Vocês dizem tudo o que estou a pensar, sem usar palavrões! Já vi tudo o que disseram. Os meus melhores amigos estão sob camisas de forças químicas e isso transforma‑os em pessoas horríveis quando consomem drogas.

REFORMADO DA POLÍCIA, ALABAMA

Por favor, envie‑me o DVD. Conheço muitas pessoas que consomem drogas psicotrópicas que precisam de ver isto.

GERENTE DE COMPANHIA, REINO UNIDO

Tenho sido abusado durante muitos anos pela indústria psiquiátrica e quero ensinar os perigos das drogas para ajudar os outros.

GUARDA EM INSTALAÇÕES PSIQUIÁTRICAS, NAMÍBIA

Trabalho numas instalações psiquiátricas a observar pacientes mentalmente deficientes. Sinto que os vossos materiais educacionais são úteis para mim visto que me equipam sobre como lidar adequadamente com a doença mental e os direitos destes pobres pacientes. Já vi muito nestas instalações que não concordo. Estes materiais são uma bênção disfarçada para mim. Vou partilhar esta informação com os seus colegas.


FACTOS

“EFEITOS SECUNDÁRIOS” DOS PSICOTRÓPICOS

Alguns medicamentos psicotrópicos têm “efeitos secundários” que incluem suicídio e homicídio.

117%

DE AUMENTO

em prescrições de psicotrópicos nos EUA entre 1999 e 2013

24%

DE AUMENTO

da taxa de suicídio nos EUA de 1999 a 2014 — coincidência?

41

MILHÕES DE AMERICANOS

estão em drogas antidepressivas

65

ATOS DE VIOLÊNCIA

que mataram ou feriram 693 pessoas em mais de 3 décadas foram devido a indivíduos a retirarem‑se ou em psicotrópicos

409

AVISOS

nas drogas psiquiátricas incluem os riscos de automutilação, suicídio, violência, agressão e pensamento suicida



ACABAR COM O ABUSO PSIQUIÁTRICO

Como um vigilante da saúde mental sem fins lucrativos, a CCHR depende das filiações e donativos para levar adiante a sua missão de erradicar as violações dos direitos humanos por parte dos psiquiatras e limpar o campo da saúde mental. Para se tornar parte do maior movimento mundial para a mudança da saúde mental, une‑se ao grupo que ajudou a promulgar mais de 180 leis para proteger os cidadãos das práticas psiquiátricas abusivas.

DOWNLOADS